Faz nascer quem lhe apetece, seja aqui ou no japão

Faz nascer quem lhe apetece, seja aqui ou no japão, e, se quer, logo acontece ser inverno quando é verão.
faz viagens sem partir, regressa sem ter voltado tem sempre, até dormir, papel e lápis ao lado.
com tristeza ou alegria escreve o que sente e o que vê. quer em prosa ou poesia, está no livro de quem lê!